Câmara volta do recesso com indefinição sobre a reforma da Previdência

A Câmara dos Deputados volta do recesso amanhã ainda com incertezas em relação à reforma da Previdência. De acordo com o jornal Folha de S. Paulo, o governo avalia não ter os votos necessários para aprovar o projeto. Com uma vitória ainda distante, Planalto e Congresso estariam se preparando para minimizar o desgaste em uma eventual derrota.

Ainda de acordo com a Folha, as contagens mais otimistas apontam que, atualmente, o governo conta com 270 votos. Para aprovar a reforma de Previdência, são necessários 308 votos em dois turnos. Para mobilizar a base aliada, líderes deverão se reunir em suas bancadas na terça-feira (6), antes de se reunirem com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ).

O governo trabalha com duas possibilidades: votar a proposta sem previsão de vitória ou adiá-la para novembro. Na sexta-feira (2), o presidente Michel Temer disse que seu governo resistirá caso a reforma previdenciária não seja aprovada , mas os seguintes, não. Para o emedebista, o crescente rombo do sistema trará maiores problemas para o País nos próximos anos.

“Tenho mais 11 meses de governo. Eu aguento a Previdência. Houve um déficit de R$ 268 bilhões nesse ano que se passou. A tendência é aumentar essa dívida previdenciária esse ano, mas o meu governo aguente. O que não vai aguentar são os próximos anos”, disse Temer durante entrevista à Radio Jornal, de Pernambuco.

Ao jornal O Estado de S. Paulo, o presidente afirmou que “já fez a sua parte” pelo projeto e que “agora é preciso convencer o povo”. Marcada para 19 de fevereiro, a votação da reforma na Câmara ainda deverá ser discutida por Temer e Maia, que decidirão se vale ou não levar o projeto a plenário sem garantia de votos.

“Vamos insistir muito na reforma da Previdência. Agora, de fato, é preciso ter votos. Nós temos duas, três semanas para fazer a avaliação se temos votos ou não e depois decidimos se vamos votar de qualquer maneira ou não”, disse Temer sobre a conversa com o presidente da Câmara.

(Visited 16 times, 1 visits today)

Comentários

comentários

Editorial
Do NOT follow this link or you will be banned from the site!