Ciro Gomes e Odilon dividem palanque hoje na Capital

Candidato da esquerda, pedetista tem Bolsonaro como alvo de suas críticas: “é boçal e despreparado”

O candidato à Presidência da República Ciro Gomes estará em Campo Grande nesta quinta-feira, onde vai dividir palanque com o também pedetista Odilon de Oliveira, que disputa o cargo de governador do Estado. A recepção será na sede da Anoreg, às 19h, onde ambos falam sobre suas metas em comum para o Mato Grosso do Sul e o País sob a perspectiva da esquerda.

Ciro Gomes deve chegar à Capital por volta das 18h e permanece até as 22h, quando embarca para Palmas (TO), onde tem agenda na manhã da sexta-feira com a candidata à vice Kátia Abreu.

O ex-governador do Ceará será o primeiro candidato à Presidência da República a visitar Campo Grande desde o início oficial da campanha deste ano, no dia 16 deste mês. A votação do primeiro turno ocorre no dia 7 de outubro.

O partido de Ciro Gomes e Odilon de Oliveira, juntamente com as demais siglas de esquerda como PSTU e PT, têm como uma de suas estratégias desconstruir junto à opinião pública a imagem do capitão Jair Bolsonaro (PSL), candidato a presidente da República e o segundo melhor colocado nas pesquisas de intenção de voto, logo atrás do ex-presidente Lula, que está preso e aguarda o registro de sua candidatura ser impugnada pela Justiça Eleitoral.

No lançamento de sua campanha, Ciro Gomes chamou o deputado Jair Bolsonaro de “tresloucado” e “despreparado”. Em sua fala, também disse que Bolsonaro é um “câncer” que deve ser “extirpado” da política nacional. Ciro criticava o fato de seu oponente não ter defendido tributação sobre lucro de grandes empresas e de pessoas de alta renda.

“Os democratas têm obrigação de extirpar esse câncer enquanto ele ainda tem condição de ser extirpado”, afirmou Ciro. O pedetista afirmou que defende uma reforma tributária para cobrir os gastos públicos crescentes.

“Como Bolsonaro vai fazer? De onde virá o dinheiro para resolver os buracos? Pega um tresloucado desses, um boçal despreparado, e desorienta do debate.” Em outro momento, o pedetista perguntou quais tinham sido as propostas de Bolsonaro para a reforma da Previdência e disse que iria procurar no YouTube o vídeo com a participação do parlamentar.

Já no programa Roda Viva, na TV Educativa, Ciro fez questão de pontuar que Bolsonaro é um “fascista” e “protótipo de ditador”. No Roda Viva, Ciro Gomes explicitou que Jair Bolsonaro provavelmente perderia o governo se mantivesse tais posturas. Entretanto, diz que os eleitores é que devem decidir se ele terá ou não possibilidade de ser presidente.

(Visited 6 times, 1 visits today)

Comentários

comentários

Editorial
Do NOT follow this link or you will be banned from the site!