Bolsonaro comanda hoje a primeira reunião ministerial do novo governo

Pela primeira vez desde que tomou posse, o presidente Jair Bolsonaro se reúne, desde as 9h desta quinta-feira, com o Conselho de Ministros, no Palácio do Planalto. Essa é a primeira reunião ministerial do novo governo. No encontro, os 22 ministros de Bolsonaro devem comparecer.

A reunião ministerial ocorre logo após toda a equipe anunciar as prioridades e indicar as ações de suas áreas. Dias antes de assumir o governo, Jair Bolsonaro havia avisado que a intenção dos primeiros dias de governo é definir atos que desburocratizem e melhorem a qualidade de vida dos cidadãos.

Ontem, o ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, disse que o objetivo da reunião de hoje é discutir as primeiras medidas que devem ser implementadas pelo governo Bolsonaro. Segundo ele, é fundamental haver um “pacto político” entre governo e oposição. “Teremos bons ouvidos para aqueles que se opõem ao nosso governo”, disse o ministro, na cerimônia de posse, informando que as “disputas ideológicas podem e devem ser travadas”.

Já para o ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência da República, Gustavo Bebianno, a proposta de reforma da Previdência apresentada na gestão Michel Temer deve ser reavaliada. Essa deve ser uma das pautas da reunião de hoje.

Por sua vez, o ministro da Economia, Paulo Guedes, declarou ontem, na cerimônia de transmissão de cargo, que concentrará suas ações em quatro pilares: abertura da economia, simplificação de impostos, privatizações e reforma da Previdência, acompanhada da descentralização de recursos para estados e municípios.

Um dos ministros mais badalados de Bolsonaro, Sergio Moro, que assumiu o Ministério da Justiça e Segurança Pública ontem, disse que suas prioridades são o combate à corrupção e à violência. Um plano anticorrupção está sendo finalizado para ser enviado ao Congresso Nacional e, paralelamente, deverá ser definida uma parceria com os estados para ampliar o sistema de segurança pública em todo o País.

O ministro da Defesa, o general Fernando Azevedo, deve levar à reunião ministerial pautas que garantam a paz, evitem conflitos e o uso da violência. No entanto, Azevedo também defendeu, ontem, mais recursos para a modernização das Forças Armadas para “dissuadir eventuais aventuras”.

A reunião ministerial de Jair Bolsonaro ocorre um dia após a publicação da Medida Provisória (MP) 870, que define a reestruturação do governo e os detalhes sobre as atribuições e prioridades de cada pasta e áreas específicas.

(Visited 10 times, 1 visits today)

Comentários

comentários

Editorial
Do NOT follow this link or you will be banned from the site!