Governo do Estado lança campanha estadual de combate a Hanseníase

A Secretaria Estadual de Saúde lançou a Campanha estadual alusiva ao “Dia Mundial de Luta Contra a Hanseníase” e do Projeto “Roda-Hans: Carreta da Saúde – Hanseníase”. O secretário estadual de Saúde, Geraldo Resende, destacou que é necessário reforçar as ações de combate Hanseníase.  “A carreta da Saúde irá capacitar os servidores dos municípios para ajudar a fazer a detecção precoce”, afirmou.

Para o ano de 2019, Mato Grosso do Sul foi contemplado com o Projeto intitulado “Roda-Hans: Carreta da Saúde – Hanseníase”, da Coordenação Geral de Hanseníase e Doenças em Eliminação/CGHDE em parceria com a Novartis Brasil e a DAHW Brasil. A Carreta atendera 12 municípios: Aquidauana, Anastácio, Nioaque, Miranda, Bodoquena, Dois Irmãos do Buriti, Jardim, Bonito, Guia Lopes da Laguna, Bela Vista, Caracol e Porto Murtinho.

O lançamento da campanha contou com a participação da coordenadora nacional de Hanseníase e doenças em eliminação do Ministério da Saúde, Carmelita Ribeiro Filha. “O Brasil é o segundo País do mundo na detecção da doença. No País ela se concentra no Norte, Nordeste e Centro-Oeste. Em Mato Grosso do Sul, 63 munícios registraram a Doença”, disse.

O chefe de Gabinete do Governador Reinaldo Azambuja, Carlos Alberto Assis, afirmou que a informação é um dos passos para desmistificar a doença e auxiliar no tratamento. “Informação e detecção precoce são as palavras chaves para podermos combater a doença. Quanto mais cedo o diagnóstico mais eficaz o tratamento”, destacou.

A Lei Nº 12.135 instituiu o último domingo de janeiro como o Dia Nacional de Combate e Prevenção da Hanseníase. A Campanha tem como objetivo alertar a população sobre os sinais e sintomas da doença, enfatizar a importância de examinar as pessoas que convivem ou conviveram de forma contínua e prolongada com os casos diagnosticados, divulgar a oferta de tratamento completo no SUS e promover atividades de educação e comunicação em saúde voltadas ao enfrentamento da discriminação a Hanseníase.

Em Mato Grosso do Sul, o Programa Estadual de Controle da Hanseníase nos últimos anos tem realizado diversas parcerias com os municípios, hospital de referência e Lacen, para desenvolver as ações de controle da doença, dentre elas: treinamentos em serviços dos profissionais da saúde, capacitação na rotina do serviço, treinamento em diagnóstico laboratorial, supervisão em municípios com apoio técnico e logístico, divulgação na mídia, dente outras.

A gerente técnica do Programa Estadual do Controle da Tuberculose e Hanseníase, Geisa Poliane, explicou que o principal sintoma da tuberculose é a tosse persistente, por mais de três semanas, na forma seca ou produtiva – com produção de muco ou catarro. “A tuberculose e uma doença transmitida através de vias aéreas que ataca principalmente os pulmões, mas que também pode ocorrer em outras partes do corpo. É importante estar atento aos sintomas, é o que ajuda a descobrir a doença precocemente”, disse.

Em 2017, Mato Grosso do Sul ocupou o 14º lugar no coeficiente de detecção de hanseníase/100.000 hab. (14,26). Em 1º lugar está Mato Grosso (103,21); em 2º Tocantins (80,57); 3º Maranhão (44,50).

(Visited 13 times, 1 visits today)

Comentários

comentários

Editorial
Do NOT follow this link or you will be banned from the site!