Operação Pantanal II elimina focos de incêndio e planeja novo combate integrado

Com lançamento de água simultaneamente ao avanço das frentes de combate por terra, a Operação Pantanal II – ação desencadeada pelo Governo do Estado com o apoio das Forças Armadas e Ibama – vem alcançando êxito na eliminação e controle dos focos de calor que se propagam pelo Pantanal. Os incêndios se estendem desde a divisa de Corumbá com Mato Grosso ao Forte Coimbra, na fronteira com o Paraguai.

Incêndio próximo a Corumbá acumula densa fumaça, incomodando a população (Foto: Saul Schramm)

Envolvendo mais de 100 pessoas, entre bombeiros, brigadistas, marinheiros, pilotos e o grupo de suporte operacional e técnico, a Operação Pantanal II foi estruturada a partir da decretação da situação de emergência ambiental pelo governador Reinaldo Azambuja, no último dia 24.7. Atendendo solicitação do governador, os ministérios da Defesa e de Meio Ambiente enviaram quatro aeronaves – quatro helicópteros e um Hércules – para integrar a força-tarefa.

“Estamos atuando fortemente nos principais focos e monitorando os demais com sobrevoos pela manhã e à tarde, cujo reconhecimento também nos permite fazer o planejamento para distribuição da tropa no dia seguinte”, informou o tenente-coronel bombeiro Huesley Paulo da Silva, que coordena a parte operacional.

Combate terra-ar

A ação ontem começou às 7h com o deslocamento de helicóptero dos bombeiros e brigadistas marinheiros para a região do Paraguai-Mirim, onde se localiza a Escola do Jatobazinho. O fogo, que já havia consumido cerca de três mil hectares, no início do mês, reacendeu no fim de semana. Nove bombeiros e cinco marinheiros combateram os focos durante todo o dia, com o apoio da aeronave Hércules (C130), que lançou 12 mil litros de água.

O avião da Força Aérea Brasileira também fez intervenções nos focos de calor que ocorrem próximos a Corumbá – entre 3 km e 8 km do porto-geral -, próximos ao Rio Paraguai. O lançamento de água foi alternado nestes pontos com outra aeronave, o helicóptero Gavião (UH-12), que carrega uma bolsa para 300 litros. No final do dia, o Hércules retornou a combater um grande incêndio nesta área, responsável por uma fumaça densa sobre a cidade.

A bordo do helicóptero Pegasus (UH-15), uma equipe formada por oficiais do Corpo de Bombeiros e da Marinha decolou às 15h para sobrevoar as regiões mais críticas, refazendo os pontos de combate para determinar o emprego da tropa e aeronaves nesta terça-feira. Os principais focos de calor foram detectados no entorno do Forte Coimbra e Corumbá, Porto da Manga, Paraguai-Mirim, Serra do Amolar e na borda do Rio Piquiri.

(Visited 5 times, 1 visits today)

Comentários

comentários

Editorial
Do NOT follow this link or you will be banned from the site!