Marquinhos Trad volta a alterar o horário do toque de recolher

Mesmo com aumento no número de mortos pela covid-19, prefeito decidiu flexibilizar medidas de segurança

A maneira errática como o prefeito Marquinhos Trad vem agindo para garantir a segurança da população diante da crise na saúde púbica provocada pela pandemia do novo coronavírus em Campo Grande teve mais um episódio que demonstra a sua incapacidade de gestão. Por meio de decreto, ele reduziu em mais uma hora o período do toque de recolher e ainda autorizou o funcionamento de restaurantes nos finais de semana. Ambas as decisões foram tomadas no momento em que o número de mortes provocadas pela covid-19 atinge recordes na Capital.

O toque de recolher que vigorava entre 20h e 5h vai ser alterado para 21h e 5h, garantindo uma hora a mais para as pessoas que desejarem estar nas ruas no período da noite nos finais de semana, as quais terão ainda a possibilidade de frequentar bares e restaurantes no novo horário. A medida, que será estabelecida por meio de decreto a ser publicado nesta sexta-feira, 31, passa a valer a partir de sábado, 1º de agosto.

A lógica do prefeito Marquinhos Trad para a medida tem como pressuposto o fato de que com mais pessoas se alimentando nas ruas haverá a redução na movimentação dos motociclistas que trabalham com a entrega de alimentos e bebidas. Em consequência disso, será reduzido o número de acidentes de trânsito envolvendo esses profissionais, responsáveis por grande parte da ocupação de leitos de UTI (Unidade de Tratamento Intensivo) nos hospitais da Capital, dentre eles a Santa Casa, que está com 100% de ocupação.

De acordo com Marquinhos Trad, “Os acidentes de motos aumentaram 58% dentro de Campo Grande. Questionaram que nós tínhamos fechado os restaurantes, ficou só o delivery, então cresceu a contratação de motociclistas”.

“Os restaurantes vão estar autorizados a funcionar para ver se, com o funcionamento, a gente diminui um pouco o serviço de delivery e, ao invés de pedir em casa, as pessoas vão até o restaurante”, explicou. A decisão do prefeito de flexibilizar as medidas de segurança ocorre no momento em que Campo Grande está na condição de epicentro da pandemia, com média de 40 pessoas infectadas por hora.

Até ontem, Campo Grande tinha 9.896 pessoas infectadas, com 117 do total de 342 óbitos registrados em todo o Mato Grosso do Sul.

(Visited 267 times, 1 visits today)

Comentários

comentários

Editorial
Do NOT follow this link or you will be banned from the site!
Últimas Notícias