Fake News: dono da Havan é alvo de operação da PF

Ação policial também mira o ex-deputado Roberto Jefferson, Allan dos Santos e a blogueira Sara Winter

O blogueiro bolsonarista Allan dos Santos, a ativista Sara Winter, o deputado federal Roberto Jefferson e o dono da rede de lojas Havan, Luciano Hang, estão entre os alvos dos mandados de busca e apreensão cumpridos pela Polícia Federal na manhã desta quarta-feira.

Ao todo, o inquérito que apura disseminação de fake news e ataques contra o Supremo Tribunal Federal (STF) cumpriu 29 mandados no Distrito Federal, Rio de Janeiro, São Paulo, Mato Grosso, Paraná e Santa Catarina.

Aberto em março do ano passado por ordem do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli, o inquérito é tocado pelo ministro Alexandre de Moraes. Já houve ordens de busca e apreensão contra supostos autores de fake news e de ofensas a autoridades públicas. Estão na mira do inquérito aberto no ano passado deputados bolsonaristas e outros aliados do presidente.

O inquérito foi aberto por meio de portaria, e não a pedido da Procuradoria Geral da República (PGR), como é a praxe. Apesar de incomum, a situação está prevista no Regimento Interno do Supremo. A relatoria do inquérito ficou por conta do ministro Alexandre de Moraes, por designação de Toffoli.

No dia 22 de maio deste ano, Toffoli afirmou que a investigação permitiu a descoberta de “ameaças reais”. A declaração foi dada em uma “live” do Lide, grupo fundado pelo governador de São Paulo, João Doria, ao responder uma pergunta sobre a prisão de duas pessoas na quinta-feira acusadas de ameaçar juízes e promotores do Distrito Federal.

“Isso é uma ação criminosa, tanto que ontem foram presas duas pessoas em Brasília, que apresentaram ameaças e com perspectivas inclusive de ações. Por isso foi aberto inquérito e houve a prisão delas”, disse Toffoli sobre a investigação em curso no DF.

(Visited 9 times, 1 visits today)

Comentários

comentários

Editorial
Do NOT follow this link or you will be banned from the site!