De acordo com uma pessoa que morou na casa de  Flordelis (PSD), a deputada federal e o  pastor assassinado Anderson do Carmo mantinham relações sexuais com filhos e filhas. As informações são do RJ2 , da TV Globo.

A testemunha , que prefere não se identificar por temer a família da deputada, disse que “durante o convívio, era perceptível que eles mantinham relações sexuais entre irmãos, entre pai e filha, entre mãe e filhos. Isso era nítido, notório, e inclusive contado pelos próprios”.

Deputada Flordelis e marido (Foto: Arquivo pessoal/Rede social)

Flordelis , antes de se casar com Anderson, chegou a ser mãe e sogra do pastor. Ele foi adotado pela deputada e, depois, começou a namorar Simone, filha biológica da parlamentar. Posteriormente, ele se tornou marido de Flordelis.

Segundo a testemunha, a relação de Anderson e Flordelis passou por mudanças quando o pastor começou a mandar mais do que a deputada nos negócios da família. “Anderson se tornou uma pedra no sapato pra Flordelis. E ela fez com ele exatamente o que ela faz com todos: retira do caminho”.Além disso, o relato aponta para a diferença de tratamento existente entre os filhos , que serviam como autopromoção para Flordelis e sustentavam os luxos da deputada: “o que era perceptível é que ela mantinha um número para manter o marketing pessoal dela, de 50 crianças adotadas”.

A testemunha diz, ainda, que “algumas crianças tinham certos privilégios . Outros não tinham tantos privilégios quanto os primeiros”. Uma parte da família comia bife e batata frita, enquanto a outra sempre recebia “uma comida com um pouco menos de valor”.

“O que eles pregam não é exatamente o que eles vivem. Eles vivem uma vida de mentira, uma vida de omissões, uma vida sem amor, uma vida voltada praticamente pra si, pelo dinheiro , riqueza e fama”, conclui a testemunha.