Crimes sexuais prejudicam candidatura de Marquinhos, mostra pesquisa
5, agosto 2022 .
9:21

Crimes sexuais prejudicam candidatura de Marquinhos, mostra pesquisa

Investigado pela polícia, o ex-prefeito perdeu votos de eleitores da Capital e também do interior

Pesquisa realizada pelo instituto Novo Ibrape divulgada nesta sexta-feira mostra que as denúncias de crimes sexuais já começam a provocar estragos na campanha de Marquinhos Trad (PSD) ao governo do estado. O ex-prefeito, ao lado da candidata petista Giselle Marques, foram os únicos a perderem votos.

De acordo com os números do Novo Ibrape, na pesquisa estimulada André Puccinelli (MDB) segue na dianteira, com 23,8% das intenções de voto, seguido por Marquinhos Trad, que aparece com 17,8%. A terceira colocação é ocupada pelo candidato do PSDB, Eduardo Riedel, com 14,3% das intenções de voto.

Rose Modesto, do União Brasil, vem logo atrás, com 14,1%, seguida pelo Capitão Contar (PRTB), com 8,0%, Giselle Marques (PT), com 1,7% e Adonis Marcos (Psol), com 0,1%. Os indecisos somam 11% e 9,2% não votariam em nenhum dos candidatos.

Queda de Marquinhos

Nessa nova rodada, com exceção de Marquinhos Trad e Giselle Marques, todos os demais candidatos pontuaram positivamente.

O ex-prefeito de Campo Grande foi o que mais perdeu votos, caindo de 21,5% (pesquisa de junho) para 17,8% no levantamento feito em agosto. Oscilação negativa, portanto, de 3,7 pontos percentuais.

A tendência é que ele continue em queda, já que o inquérito que apura diversos crimes sexuais que teriam sido praticados pelo ex-prefeito continua tramitando. O número de vítimas, que inicialmente eram 4, saltou para 12.

Rejeição

Líder nas intenções de voto, o ex-governador André Puccinelli também lidera quando se trata de rejeição. Ele não receberia o voto de 19,6% dos entrevistados. Na segunda colocação aparece Marquinhos Trad, rejeitado por 11,2% dos entrevistados.

Capitão contar tem 7,9% de rejeição, seguido por Rose Modesto, com 4,5%, Eduardo Riedel, com 4,0%, Giselle Marques, com 3,5% e Adonis Marcos, com 1,0%.

O levantamento está registrado na Justiça Eleitoral com o números MS-02567/2022 e BR-00672/2022. A margem de erro máxima estimada é de 2%, com intervalo de confiança de 95%. Foram entrevistados 2 mil eleitores em 28 municípios do Estado entre os dias 29 de julho e 3 de agosto de 2022.