Mesmo sob investigação policial, Marquinhos lança candidatura
30, julho 2022 .
18:00

Mesmo sob investigação policial, Marquinhos lança candidatura

Político chegou aos prantos ao local da convenção e pediu desculpas por relações extraconjugais

Investigado pela Polícia Civil por conta de uma série de crimes sexuais cujas denúncias foram formalizadas por mais de 10 mulheres, o ex-prefeito de Campo Grande, Marquinhos Trad (PSD), foi oficializado candidato ao Governo do Estado de Mato Grosso do Sul na convenção do partido neste sábado no clube Nipo Brasileiro. Diante de ao menos 5 mil pessoas, foi também homologado o nome da médica Viviane Orro como candidata a vice-governadora.

Aos prantos, ao lado da esposa Tatiane, Marquinhos Trad chega à sede do Nipo-Brasileiro (Reprodução)

No palanque, Marquinhos foi recebido pelos irmãos, o senador Nelsinho Trad e o deputado federal Fábio Trad, além do candidato ao Senado, Juiz Odilon, a prefeita de Campo Grande Adriane Lopes e o deputado estadual Lídio Lopes, do Patriota, que fez convenção conjunta com o PSD neste sábado.

Aos prantos, Marquinhos Trad chegou ao local acompanhado da esposa, Tatiana Trad. Outros parentes acompanhavam o candidato.

Sempre com o discurso messiânico, que é a marca de sua carreira política, e invocando o nome de Deus a todo instante, Marquinhos Trad seguiu o script elaborado previamente por sua assessoria. Após as lágrimas que marcaram sua chegada a Associação Nipo-Brasileira, no palanque ele novamente pediu desculpas à esposa pelos relacionamentos extraconjugais que teve em seu gabinete com algumas mulheres.

“Fui bombardeado por mentiras e já estão nas mãos da Justiça as provas de que tudo não passa de armação. Crime eu não cometi. Mas eu errei sim, e devo desculpas públicas para a Tatiana e as minhas quatro filhas. Vou passar a minha vida tentando reparar esse erro com todos da minha família. O cair é do homem, mas o levantar é de Deus”, disse Marquinhos, dando um ar de religiosidade à sua fala.

Investigação

As denúncias contra Marquinhos Trad vieram a público em matéria publicada no site Metrópoles pelo jornalista Guilherme Amado, que teve acesso aos boletins de ocorrência registrados pelas primeiras quatro mulheres que procuraram a polícia. Hoje, já são mais de 10 o total de vítimas que formalizaram denúncia contra o político na Delegacia de Atendimento a Mulher – DEAM.

Além de estar sendo investigado pelos crimes de assédio sexual, estupro, favorecimento da prostituição ou outra forma de exploração sexual e importunação sexual, Marquinhos Trad poderá responder ainda por improbidade administrativa em virtude de supostamente ter mantido relações sexuais no gabinete que ocupava quando prefeito, conforme apontam prints de diálogos dele com uma mulher, pelo WhatsApp, anexados ao inquérito policial.

Em 2018 ele foi investigado por crime sexual praticado contra uma integrante da guarda mirim, menor de idade. Atualmente, a vítima, já maior de idade, trabalha na prefeitura, onde foi nomeada sem concurso público na Secretaria de Governo e Relações Institucionais. A mãe da menor, à época, retirou as acusações. O caso tramitou sob sigilo, no Tribunal de Justiça, pelo fato de Marquinhos Trad, na condição de prefeito, ter direito a foro privilegiado.