Os ministros “indemissíveis” de Bolsonaro
10, janeiro 2022 . 11:30

Os ministros "indemissíveis" de Bolsonaro

Das 30 mudanças que Bolsonaro fez nas cadeiras dos Ministérios, 19 ex-ministros não têm mais ligação com o primeiro escalão. Entretanto, dois estão entre os mais valorizados por Bolsonaro, e são considerados seus “coringas”. São eles, Onyx Lorenzoni e Luiz Eduardo Ramos. Eles já assumiram quatro e três pastas federais, respectivamente.

Onyx já esteve na Casa Civil , no Ministério da Cidadania , na Secretaria-Geral e, atualmente, chefia o Ministério da Previdência e Trabalho . Ramos, por sua vez, foi da Secretaria de Governo , Casa Civil e Secretaria-Geral da Presidência .

Walter Braga Netto foi o terceiro com duas passagens. Quando Onyx foi para a Cidadania, Netto assumiu a Casa Civil. Em março do ano passado, passou a comandar o Ministério da Defesa, que é seu posto atual.

Quando estendemos para mais nomes, André Mendonça , que não ocupa mais um cargo no governo, estaria ao lado de Braga Netto. No período em que foi ministro de Bolsonaro , o agora magistrado do Supremo Tribunal Federal (STF) passou pela Advocacia-Geral da União e pelo Ministério da Justiça .