Após automutilação, Flordelis pode perder a guarda definitiva da filha
9, dezembro 2020 . 13:00

Após automutilação, Flordelis pode perder a guarda definitiva da filha

Levada na última semana para uma casa de acolhimento em Niterói, na Região Metropolitana do Rio, uma das  filhas adotivas da deputada federal Flordelis dos Santos passará por uma avaliação feita pela equipe técnica da Vara da Infância e Juventude do município. A busca e apreensão da adolescente ocorreu após denúncias de que a menina de 14 anos teria se automutilado depois de uma briga com a deputada. Ao término do processo na Justiça, Flordelis poderá até perder a guarda da filha definitivamente.

Os profissionais da Vara da Infância, entre eles psicólogos, avaliarão fatores como as condições psicológicas da menina, a situação e tratamento na casa de Flordelis e a relação dela com os integrantes da família. Na decisão da semana passada, a juíza Rhohemara dos Santos Carvalho determinou a perda provisória da guarda pela parlamentar com o encaminhamento da adolescente para uma casa de acolhimento.

Ao término do processo na Justiça, Flordelis poderá até perder a guarda da filha definitivamente. (Foto: Reprodução/Rede Social)
O pedido para encaminhar a menina para uma casa de acolhimento foi feito por um colegiado formado por conselhos tutelares da região de Niterói. A decisão de entrar com a solicitação foi tomada após Flordelis ter postado um vídeo nas redes sociais falando sobre o episódio que havia ocorrido com a filha adotiva . Na gravação, a deputada relata que a menina tinha sido hospitalizada para tratar “de problemas emocionais causados por mentiras”.

Ainda no vídeo, a deputada nega a versão de que a menina tenha se ferido após uma briga com ela. A parlamentar admite, no entanto, que ocorreu um desentendimento com outra pessoa e que a menina “acabou se marcando, se cortando no braço”. O mandado de busca e apreensão da adolescente, determinado pela Vara da Infância e Juventude, foi cumprido no hospital particular onde ela estava internada.

As informações sobre o episódio com a filha adotiva da deputada já tinham chegado ao Conselho Tutelar do Largo da Batalha, em Niterói, há cerca de um mês. Após a notícia, foi feita uma visita à casa de Flordelis. O colegiado de conselhos ainda está acompanhando a situação de outros menores da casa.

No último dia 27, durante a segunda audiência do processo no qual Flordelis é acusada de ser mandante da morte do marido, a situação da adolescente que teria se automutilado foi revelada por uma das testemunhas ouvidas. Também foi relatado que as crianças e adolescentes que ainda vivem na casa sofrem maus tratos. Diante da denúncia, um conselheiro tutelar foi acionado e ouviu duas netas de Flordelis que estava no fórum. Cópias dos depoimentos também foram encaminhados para a Vara da Infância e Juventude.

O episódio com a adolescente que teria se automutilado também foi contado por uma das netas de Flordelis em depoimento na Delegacia de Homicídios de Niterói e São Gonçalo (DHNSG) no dia 11 do mês passado. Ela relatou que  após ter sido chamada por Flordelis de ‘‘lixo’’, a filha adotiva da deputada cortou o próprio braço e nele escreveu “Eu S. um lixo”. Ainda segundo o depoimento, a parlamentar também disse que não gostaria de tê-la como filha e afirmou que se ela continuasse desobediente, “aí sim teriam motivos para chamá-la de assassina” .